menu lateral

Interar-te - Programação 2015

Coordenação: Andrea Amaral Biella (educadora - MAC USP)

O programa Interar-te proporciona momentos de integração entre crianças, jovens e seus acompanhantes adultos - familiares ou amigos - através de atividades lúdicas motivadas pelas exposições em cartaz no MAC USP.

24 | janeiro
Outras Formas de Me Ver
Acompanhando a abertura da exposição Samson Flexor: Traçados e Abstrações, a atividade vai partir da observação de duas pinturas – Cristo na Cruz e A Coroa de Espinhos – para propor uma oficina onde a representação da própria imagem será feita de uma maneira diferente, com formas geométricas, cores e muitas linhas.

28 | fevereiro
O que não aconteceu pode ser sentido?
Audiovisuais em exibição na mostra Rafael França: Entre Mídias serão ponto de partida para conversas com as famílias sobre realidade versus ficção, imaginação, sonhos, pesadelos, invenções e as sensações que provocam em nossas vidas. Depois, em uma oficina, depoimentos dos participantes serão coletados e formarão um audiovisual que será assistido por todos.

28 | março
Dois olhares: múltiplas impressões
A partir de poéticas sobre a cidade sob o ponto de vista dos artistas Oswaldo Goeldi e Evandro Carlos Jardim, presentes na exposição Goeldi/Jardim: A Gravura e o Compasso, aproximações e diferenças entre xilogravura e gravura em metal também serão apresentadas aos participantes. Depois, uma oficina de carimbos sobre cidade - imaginada, vivida, percebida, temida - será motivo de integração das famílias por meio de suas impressões.

25 | abril
Tão Perto ou Tão Longe? Isto é Maior ou Menor?
A exposição Flieg: Fotógrafo será ponto de partida para uma discussão sobre diferentes ângulos e pontos de vista em fotografias. Depois, uma saída fotográfica pelo Parque Ibirapuera proporcionará aos participantes o exercício de diferentes formas de olhar e registrar imagens.

30 | maio
Ontem e hoje, o meu e o seu: o cotidiano é sempre igual?
Os participantes serão convidados a refletir sobre o uso dos objetos de diferentes cotidianos presentes na exposição Olhares Cruzados nos Museus da USP - Identidades Diversas e sua relação com o brincar. A atividade será encerrada com uma oficina iniciada no Museu que poderá se estender às casas das famílias.

27 | junho
Quem fez? Como assim?
A obra 'Correr o Risco', de Shirley Paes Leme, presente na exposição O Artista Como Autor/ O Artista Como Editor, será ponto de partida para uma conversa sobre autoria em artes visuais. Depois, em uma oficina, será realizado um trabalho colaborativo envolvendo as famílias.

15 | julho
Expedição Arte Contemporânea
Um passeio pela diversidade de poéticas e modos de fazer arte presente nas obras da exposição 5º Prêmio Marcantonio Vilaça será o motivo de uma expedição pela arte contemporânea. Depois, um mapa em família organizará as vivências e descobertas de cada percurso.

22 | agosto
Ser criança não é uma coisa só
A série Boyhood (Infância), presente na exposição Roger Ballen - Transfigurações, fotografias 1968-2012 será ponto de partida para uma conversa sobre diferentes modos de se viver. Depois, em uma oficina, cada participante será estimulado a registrar percepções sobre sua própria infância.

26 | setembro
Como você quer ser reconhecido?
A obra "Fábula do Olhar" de Virgínia de Medeiros, presente na mostra 5º Prêmio CNI SESI SENAI Marcantônio Vilaça, será motivo de uma conversa com as famílias sobre o que sentimos que somos e como gostaríamos de ser representados. Depois, uma oficina reunirá depoimentos dos participantes e orientações para um retrato a partir de referências da fotopintura na arte contemporânea.

24 | outubro
Coisas de casa
A obra Sem Título, de Iran do Espírito Santo, presente na mostraA Casa, será o ponto de partida para conversas sobre representação e planos bi e tridimensionais, entre outras questões das artes visuais. Para finalizar, os objetos cotidianos da infância dos participantes serão o tema de uma oficina.

28 | novembro
Entre a imaginação e a realidade
Uma apreciação dos projetos utópicos presentes no conjunto de obras "Nova Cartografia Americana", da artista chilena Ales Villegas, integrante da exposição Vizinhos Distantes: Arte da América Latina no Acervo do MAC USP, será ponto de partida para discussões sobre imaginação, projeto, usos e desusos de edifícios em diversos momentos no decorrer do tempo. Depois, em uma oficina, a relação dessa conversa com o cotidiano vivido e (re)conhecido pelos participantes sobre a cidade de São Paulo será motivo de projetos coletivos sobre propostas para novos modos de (re)viver a cidade.

Voltar

Localização

Contato


Crédito | Conteúdo