A partir de 6 MAI 2017
Exposição de longa duração
Entrada Gratuita

 

Reserva em Obras


Reserva em Obras
>english

Desde 2012, o Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, fundado em abril de 1963, está em processo de ocupação de sua nova sede. Este edifício, oriundo da reforma do antigo Palácio da Agricultura, foi projetado juntamente com os demais pavilhões do Parque Ibirapuera, pelo arquiteto Oscar Niemeyer, por ocasião do 4o. centenário da cidade de São Paulo. Não é tarefa simples transformar esse monumento da arquitetura moderna do Brasil em espaço museológico que possa para abrigar uma das mais importantes coleções públicas de arte moderna e contemporânea do continente.

A decisão da Universidade de concentrar toda a estrutura do MAC USP em sua nova sede levou à readequação do uso de alguns espaços e adaptação de outros. Assim, em 2016, tiveram início reformas importantes, tais como, a otimização das áreas de escritórios, a construção de três salas de aula e a adequação de espaços para recebimento dos acervos do Museu em sentido amplo. Nesta última, os espaços da biblioteca e do arquivo foram expandidos e, em breve, teremos a incorporação da doação da biblioteca e do arquivo de Walter Zanini, primeiro diretor do MAC USP (1963-1978).

Enquanto o Museu espera o término das obras de adaptação de suas reservas técnicas - o espaço físico no qual ficam guardadas as obras que não estão em exposição - o público do MAC USP terá a oportunidade de ver grande parte de sua coleção de arte "em trânsito". É um modo de apresentar os bastidores do museu envolvendo os visitantes nos meandros da operação museológica, seus processos e conjunturas.

Desse modo, as obras exibidas nos andares intitulados Reserva em obras não são articuladas por um tema específico, ou por escolhas curatoriais fechadas, mas atestam o trabalho cotidiano realizado por técnicos e docentes para sua preservação e pesquisa, compondo assim laboratórios abertos para que novas articulações possam ser feitas. Vale lembrar que curar é antes de mais nada conhecer e preservar. Aliás, preservamos melhor o que conhecemos mais, sendo essas atividades necessariamente interdependentes. Afinal, expor é antes de tudo um modo de preservar.


Collection Storage in Works
>português

Since 2012, the Museum of Contemporary Art of the University of São Paulo, founded in April 1963, is under process of occupation of its new venue at Ibirapuera Park. This building was renovated to house the Museum, and originally was the so-called Agriculture Palace, belonging into the complex of pavilions of the park, designed by Oscar Niemeyer for the fourth Centennial of the city of São Paulo. To transform such a monument of Brazilian modern architecture into a museum venue, to be the site of the most important public collections of modern and contemporary art of the continent is not a simple project.

The decision of the University to concentrate of the infrastructure of MAC USP in its new venue led still to the adaptation of use of some of the spaces and renovation of others. Therefore, in 2016, two major renovations were undertaken: the optimization of space in the offices areas, and the construction of three classrooms; and the adaptation of spaces to receive the Museum's collections in a broader sense - its artworks, its library and its archive, the two latter soon to be significantly augmented with the donation of the library and archive of Walter Zanini, the first director of MAC USP (1963-1978).

While the Museum awaits the end of the adequation works of its collection storage rooms - the place where the artworks are kept when not in exhibition - MAC USP's audience will have the opportunity to see the great majority of its collection "in transit". This is a way to present the backstage of the museum, engaging visitors in the meanders of the museological operation, its processes and conjunctures.

The works exhibited in the gallery spaces titled "Collections Storage at Work" are not articulated by a specific theme, or by conceived curatorial choices, but the bear witness to the everyday work realized by specialized staff in various fields, and professors, into preservation and research, being thus open laboratories so that new relations can be made. It is never enough to say that to curate is, first, to know and to preserve. Actually, we preserve better what we know better, these two activities being intertwined. To exhibit is above all to preserve.





© 2017 Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo