SEM TÍTULO, 1988
4 blocos de carbono prensado e cabos de aço
100,0 x 100.0 x 20,0 cm
Doação Postes Cavam S/A via AAMAC

Ótima expressão da estética de redução, da economia de elementos, do prazer neutro do ver, tão característicos a poética de Fajardo, esta obra, composta de 4 elementos de carbono prensado amarrados por cabos de aço, representa bem a idéia motriz da produção minimalista: uma das vertentes abstratas da dédada de 1960, e para a qual o mínimo é mais; já que é executada com a mínima interferência de seu autor, cuja tarefa se limita a estabelecer uma certa ordem, ou harmonia, entre os objetos pré-existentes. E ainda que os elementos com os quais é composta, sejam tão comuns ao cotidiano urbano da moderna sociedade industrial, quando reconhecidos, tornam-se incomuns por seu uso artístico, estético.
Vale dizer que, esta obra é parte de um conjunto de obras apresentado por Fajardo na Galeria Raquel Arnaud, em 1989; já que o espaço entre as coisas, bem como a relação das partes entre si, delas com a parede, e de todo o conjunto com o espaço circundante, são preocupações constantes de Fajardo.

"O olhar constitui o sujeito da arte, é ele o responsável pela demarcação incessante dos limites deste sujeito no espaço. Por isso, quero despertar um olhar que perceba entre as coisas".

Esta obra foi adquirida pela empresa de postes CAVAN, em 1989, e doada ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, por intermédio da Lei Sarney.

Ana Claudia Salvato Pelegrini
(bolsista PIBIC/CNPq)
Daisy Peccinini
(coordenadora do projeto)