Clique para ampliar

Vermelho e Verde em Formas Contrárias, 1952

Contemporânea ao Manifesto Ruptura, esta obra revela os conceitos gestaltianos de percursos visuais, que exploram o efeito psicológico das formas na mente humana.

Composta por cores e formas complementares - verde e vermelho, quadrado e círculo -, fazem o olhar do espectador percorrer infinitas vezes o quadro. De elementos simples surge assim uma dinâmica de relações, tanto entre as formas e cores quanto entre as formas, cores e o fundo. Geraldo de Barros acreditava na união entre a arte e o universo industrial, e assinou este trabalho com seu logotipo.

Tatiana Rysevas Guerra
[bolsista]
Profa. Dra. Daisy V. M. Peccinini de Alvarado
[coordenadora do projeto]