Chama Clara
1946
Óleo s/ tela, 99.8 x 81.0
Doação Francisco Matarazzo Sobrinho

Embora de caráter não-figurativo, este quadro apresenta um rigor geométrico semelhante ao cubista. Pintado sobre tela, causa no espectador o mesmo efeito dos vitrais medievais, principalmente devido aos recortes miúdos, preenchidos com cores vivas e intensas, sobre as quais predomina o vermelho.

Datando de 1946, Chama Clara expressa o ligeiro afastamento de Manessier em relação ao grupo "Jovens Pintores de Tradição Francesa", mostrando que o artista, mesmo participando do movimento abstracionista, realiza uma obra autêntica e singular. A influência de uma arte sacra e gótica em seu trabalho, resultado de uma personalidade recolhida e espiritual, produz a tentativa de atingir grande conhecimento interior através da deformação do mundo externo.

Carolina Amaral de Aguiar
(bolsista IC - FAPESP)
Profª Drª Daisy Peccinini
(responsável pelo projeto)