Praça da Sé, 1940, Col. Part.

Sem Título, 1945
Impressões de São Paulo
Xilografia s/ papel, 22.1cm x 19.0cm (17.8cm x 14.3cm)
Doação Francisco Matarazzo Sobrinho

Considerado o principal artista gráfico do Grupo Santa Helena, Manoel Martins elege a paisagem urbana como tema principal de suas gravuras. Contrastando com as cenas do centro de São Paulo, com suas avenidas largas, seus carros e seus numerosos transeuntes, esta obra retrata o subúrbio, onde o crescimento e o progresso se apresentam de forma desordenada e distante dos padrões da modernidade. No lugar de pessoas, a desumanidade aparece no aglomerado de casas e nas más condições de vida.

A perspectiva valoriza alguns elementos da cena, em detrimento das proporções acadêmicas, fazendo com que a gravura se aproxime das paisagens cubistas. No primeiro plano, as habitações sobrepostas imperam na cena, cobrindo ruas e presenças humanas. Ao fundo, uma chaminé de fábrica indica que se trata do retrato de uma vila operária, ao mesmo tempo em que a lua instaura a luminosidade da noite. Restam ainda os morros, remanescentes de uma paisagem urbana que deixa de existir, dando lugar aos arranha-céus e aos novos elementos urbanos.

< volta