Carnaval, 1945

Óleo sobre tela, 81.8 X 60.4
Doação MAM-SP

Como boa parte dos artistas estrangeiros que se estabeleceram no Brasil durante os anos subsequentes ao modernismo dos anos 20, Moussia também se encantou pelos supostos caracteres constituintes de uma certa brasilidade, dos aspectos representativos da nação. Tais caracteres já estavam presentes no horizonte de artistas e intelectuais brasileiros que procuravam explicar o que era o Brasil. Daí a acentuação de uma série de aspectos como clima - tropical, cores - essencialmente quentes, corpos - fortes e mulatos, luzes - incisivas nas formas.

O primeiro plano desta obra trata de uma cena de festa, festa de carnaval, aparentemente numa praia. Ao fundo, a lua cheia ilumina prédios e um morro. Esses componentes falam de uma cena tipicamente carioca. A cultura material -trajes e instrumentos das figuras podem indicar facilmente que estas pessoas têm origem naquele morro. Indiscutivelmente, há a intenção de narrar uma cena popular, tipicamente brasileira.

São presenças constantes na obra de Moussia os retratos do cotidiano de pessoas que vivem com poucos recursos, habitantes dos subúrbios ou das favelas, imagens populares e folclóricas. Tais assuntos a aproxima, em determinados momentos, a Di Cavalcanti, de quem foi aluna em aulas de ateliê.

Ver obra ampliada

Vanessa Machado
(bolsista IC-FAPESP)
Daisy V. M. Peccinini de Alvarado
(coordenadora do projeto)