GERMINAÇÃO, 1942
GUACHE S/ PAPEL; 
51.3 x 66.5 cm
DOAÇÃO MAMSP
Obra de sua fase surrealista norte-americana. Onde os vermelhos, os azuis e os amarelos mesclam-se sobre fundo preto, remetendo-nos diretamente ao útero materno original. Do nada, que é a escuridão, o negro, o não-ser, nascem seres embrionários e luzes. O artista recria a dança primeira do universo, de onde germina a vida. Presentifica a infância do homem e, por um movimento em contrário, devolve-o a ela: "conta-lhe" a sua história nas cores e nos traços que se movimentam.

 
ANDRÉ MASSON