1897 - Kherson, Ucrania
1970 - Paris, França
 
Fundado do clube Dada de Berlim em 1919, Jef Golyscheff sempre foi um dadaísta, mesmo tendo saído do grupo em 1922. Como ele mesmo dizia, nunca deixou a pintura e o Dada nunca o abandonou. Músico e pintor, iniciou primeiramente seus estudos de música e pintura, entrando em contato com o Fauvismo, ainda na Rússia. Dando prosseguimento a sua iniciação artistica em Berlim, em 1909, assimilando a lição do Cubismo e do Futurismo, além de sua arte revelar elementos do Expressionismo Alemão. Passou a integrar o movimento Dada berlinense em 1919, que se diferencia do Dada suiço/francês, pela sua acentuada natureza política. Um ano antes com Karl Schmidt-Rottluff, Emil Nolde, entre outros, foi um dos signatários do Grupo de Novembro/Novembergruppe, pregando a dissolução das academias e a liberdade total no ensino das artes. Foi convidado por Walter Gropius a lecionar na Bauhaus sem, no entanto, participar de suas atividades. Manteve estreitas relações com Wassily Kandinsky, Paul Klee, entre outros. Em 1933, assim como aconteceu com outros artistas das Vanguardas, sua obra foi considerada degenerada e foi seqüestrada pela polícia de Hitler. Durante a II Guerra, passou a maior parte do tempo em campos de concentração, contraindo doenças como a avitaminose. 
Viveu em São Paulo de 1957 a 66, retornando então à Europa e reencontrando os amigos sem localizar, contudo, qualquer vestígio de suas obras, seja em museus, galerias ou com colecionadores. Sua história, em certo sentido apagada pelos nazistas com a destruição de seus quadros e obras musicais vem sendo resgatada pelo MAC-USP, apartir de 1960 por seu então diretor Walter Zanini. Além de seus trabalhos em artes plásticas compôs também peças musicais, óperas e trilhas sonoras para filmes de Eisenstein e Pudovkin, sendo inclusive um dos criadores do dodecafonismo. 
 
OBRAS NA COLEÇÃO DO MAC
HOME
MAPEAMENTO MÓDULO I - DADAÍSMO - GRUPO DE NOVEMBRO
MENU EXPRESSIONISMO - MENU CONSTRUTIVISMO - MENU ABSTRACIONISMO