Milão, 1909

Giacomo Balla
Velocidade de carro
Cubismo, Futurism and Construtivism
London: Thames and Hudson Ltd., p. 27
 
Único movimento italiano de vanguarda, no entanto o mais radical de todos, por pregar ruidosamente a anti-tradição. 
Ao contrário de movimentos como o Fauvismo e o Cubismo, que foram assim chamados por seus antagonistas, o Futurismo escolheu seu próprio nome e propagou suas idéias através de manifestos.
Fundado por Filippo Tommaso Marinetti com a publicação do Manifesto fundador do Futurismo (1909), tinha o intuito de que as artes demolissem o passado e tudo o mais que significasse tradição, e celebrassem a velocidade, a era mecânica, a eletricidade, o dinamismo, a guerra. 
Surgiu como uma forma de superar as novas tendências e correntes artísticas de então, adiantando-se a todas elas. 
À Marinetti juntaram-se Umberto Boccioni, Luigi Russolo e Carlo Carrà, autores do Manifesto dos pintores futuristas, 1910, no mesmo ano, Boccioni redigiria o Manifesto técnico da pintura futurista. Um ano depois aconteceria a primeira grande exposição futurista, que contaria com 50 obras desses artistas, as quais chamaram a atenção mais pelo tema que pela linguagem, embora insistissem no fato de que a tecnologia e o progresso deveriam ser expressos em novas e audaciosas formas de arte.

Com a guerra de 1914, o Futurismo chegou ao fim. 
Artistas como Boccioni sucumbiram em combate, outros à tradição. Marinetti a ideais políticos, ajudando o Fascismo a chegar ao poder. Alguns jovens artistas tentaram reavivá-lo após 1918, mas sem sucesso; porém, sua influência sobre os outros movimentos modernos foi importante e duradoura.

 
CUBISMO
HOME
MAPEAMENTO MÓDULO I
MENU CONSTRUTIVISMO - MENU EXPRESSIONISMO - MENU ABSTRACIONISMO