A exposição histórica da Section d'Or (Seção de Ouro) realizou-se de 10 a 30 de outubro de 1912,  com todos os adeptos do Cubismo, com exceção de Pablo Picasso e Georges Braque: Juan Gris, Fernand Léger, Albert Gleizes, Jean Metzinger, André Lhote, Robert Delaunay, Marcoussis, R. de La Fresnaye, Marcel Duchamp, Jacques Villon, Duchamp-Villon, Dumont, Agero, Herbin, Dunoyer de Segonzac, Lue Albert Moreau, Jean Marchand. Muitos deles, conservavam do Cubismo somente o aspecto exterior, o fracionamento geométrico da superfície pintada, orientando-se em seguida por vias opostas, mas a unidade de suas pesquisas baseava-se então na admiração comum por Cézanne e sua lição construtiva.
O título da manifestação cabe ao pintor e gravador Jacques Villon, que desenvolvia a teoria da visão por pirâmides, derivada de Leonardo da Vinci e sugeriu durante as reuniões o nome tirado do célebre tratado de Luca Pacioli, a Divina Proporção de 1509. Formulada por Vitrúvio e retomada na Renascença, a "seção de ouro" é a relação ideal entre duas grandezas que se exprime numericamente pela proporção:

1 = 1,618
0,618 1

E verifica-se em muitas obras-primas das diversas artes, seja de forma consciente ou não.

CUBISMO

MENU

HOME