SEM TÍTULO, 1942 
MADEIRA, METAL E ACRÍLICO
54,2 x 42,6 x 4.3 cm
DOAÇÃO FRANCISCO MATARAZZO SOBRINHO
Este trabalho de 1942, cria um espaço de tensões, a partir da disposição dos corpos, embora utilize elementos que lembrem a pintura de cavalete, a obra aproxima-se mais da linguagem arquitetônica. 
A tela deixa de possuir apenas a bidimensionalidade tomando o caminho da tridimensinalidade, conseguindo enganar a visão em um primeiro momento, a partir de sensações oculares, mas dispondo os materiais de forma a ganhar volumes e dimensões, a medida que aproximamos.
CÉSAR DOMELA