1898 - Filadélfia, EUA
1976 - Nova Iorque, EUA
 
Alexander Calder foi um artista da forma e do equilíbrio, que aliou com perfeição, arte e técnica. Com lâminas de metal e arame criou "esculturas em movimento", os móbiles, que lhe atribuíram grande popularidade.

Filho de escultores, quando criança, seus pais lhe ofereciam barro para modelar como motivo de distração. Entretanto, isso pouco importava ao menino que crescia em meio às inovações do mundo moderno. 
Anos depois, estudou Engenharia no Stevens Institute of Technology, em Nova Jersey e, posteriormente, freqüentou a Art Students League em Nova Iorque. Em seguida, foi a Paris, onde criou a obra "O Circo" com as primeiras figuras articuladas em arame. Em 1928, voltou a Nova Iorque e realizou sua primeira exposição. No ano seguinte, retornou à "Cidade Luz", lá permanecendo até 1931. Em Paris, manteve contato com Piet Mondrian, Joan Miró, Jean Arp, Fernand Léger - artistas que influenciaram definitivamente sua obra. Calder fixou residência nos EUA, mas não deixou de viajar para Paris e expor nas capitais emergenciais da arte moderna, como Amsterdã e Nova Iorque.

Sua produção artística não se limitou a esculturas em arame torcido, aos móbiles e aos estábiles; abrangeu a pintura externa de um jato da Braniff, o "Flaying Collors", de um automóvel de corrida da BMW e a reprodução de seus trabalhos em redes por artesãos da Nicarágua.

OBRAS NA COLEÇÃO DO MAC